Um momento de Sophia...

Liberdade
Aqui nesta praia onde
Não há nenhum vestígio de impureza,
Aqui onde há somente
Ondas tombando ininterruptamente,
Puro espaço e lúcida unidade,
Aqui o tempo apaixonadamente
Encontra a própria liberdade



As amoras

O meu país sabe as amoras bravas no verão.
Ninguém ignora que não é grande,
nem inteligente, nem elegante o meu país,
mas tem esta voz doce de quem acorda cedo para cantar nas silvas.
Raramente falei do meu país, talvez
nem goste dele, mas quando um amigo
me traz amoras bravas
os seus muros parecem-me brancos,
reparo que também no meu país o céu é azul.

Sophia de Mello Bryener Andersen


Obrigado Sophia!

27 comentários:

Lumife disse...

Parabéns pela escolha. Para mim a Maior.

Um abraço.

wind disse...

É sempre bom ler A Sophia:) Belo!

Mocho Falante disse...

Para mim também cara lumife, aliás como já te tinha dito no teu poiso...

Cristina disse...

Não conhecia, mas adorei

Beijinhu

;)

objectiva3 disse...

É sempre com emoção que leio os poemas de Sophia...

Obrigada, por este momento!

:)

Hipatia disse...

Deixo-te o meu favorito:

Pudesse eu não ter laços nem limites
Ó vida de mil faces transbordantes
Para poder responder aos teus convites
Suspensos na surpresa dos instantes!

Sophia de Mello Breyner Andresen – Pudesse Eu

Isabel Magalhães disse...

Obrigada, Mocho, por esta Sophia que nos dás e pelas belas fotos que a acompanham.

Em troca, deixo-te

As rosas

Quando à noite desfolho e trinco as rosas
É como se prendesse entre os meus dentes
Todo o luar das noites transparentes,
Todo o fulgor das tardes luminosas,
O vento bailador das Primaveras,
A doçura amarga dos poentes,
E a exaltação de todas as esperas.

Um [] em cores de poesia. :)

Isabel Magalhães disse...

Claro que o poema 'As Rosas' também é um poema de Sophia de Mello Breyner Andresen.

:)))

LUA DE LOBOS disse...

é sempre um moment SPA como tu dizes
um muito obrigada
maria

Desconhecida disse...

Obrigada pela tua visita! Sabes que iniciei o meu blog com Sophia de Mello Breyner?
Fica bem

Isabel-F. disse...

Oi Mocho....

Eu tb gosto do meu País...(e fico fula, qdº vejo gente falar mal dele...)
uma bela escolha este poema...

bjs

Abelhinha disse...

Grande Sophia de Mello Breyner Andersen...

Adoro!

Caracolinha disse...

Ai mocho, mocho ... até fiquei arrepiada ... as palavras, as imagens e a voz da Mariza ... é demais, é demais ... mas é a tua cara ...

Obrigada por este belo presente, meu grande amigo.

É que no tempo da grande geada não havia tanta caracolinha emocionada...

Obrigada também à im pela partilha daquelas, também lindissimas, palavras !!!!

Babinho Emocionado

Nina disse...

Uma das minhas escritoras preferidas...Parabéns pela escolha...

Beijinhoo :)

batista filho disse...

Mesmo conhecendo e gostando de muitas outras terras, sempre existirá um cantinho onde as frutas terão um gosto inimitável, assim acontece com essas amoras bravas...

Me emocionou a delicadeza e profundidade desse texto, desses versos.

Um abraço fraterno.

Dilbert disse...

Poxa Mocho... espectacular hoje... um belo poema de Sophia, paisagens deslumbrantes e o deleite de ouvir Mariza... acho que ainda fico mas é aqui de férias no teu Blog :)
Um abraço e inté já...

Armando S. Sousa disse...

Gosto particularmente do poema "As Amoras", diz muito daquilo que somos.
Um abraço

Sofia disse...

Lindo!
Bjs e obrigada por este momento!

smartins disse...

«As Amoras» definem o ser Português e o nosso Portugal de forma muito exacta.

Vespinha disse...

Mochinho,

Óptima escolha!
É sempre bom ler Sophia de Mello(também tem dois LL mas não tem nada que ver com a outra matrafona)!

Bába de Vespinha

Vespinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
NightWolf disse...

Poemas que na sua simplicidade dizem muito, uma optima escolha, basta ser de quem é...
Um abraço

Lumife disse...

Só para acertar o artigo... O lumife e não a ...

Um abraço

Mocho Falante disse...

Hoje andei a passear pela bogoesfera e reparei que muitos de nós decidiu hoje colocar poemas de Sophia...ele há coincidências...
ao contrário do que diz a outra que nem me atrevo a dizer o seu nome (Cruzes Credo Canhoto)

Ultimate_pt disse...

Sei que já venho tarde,mas queria deixar a minha saudação pela escolha dos poemas e ternura pelo significado dos mesmos.
A Natureza é linda...

Mocho Falante disse...

ultimate, vens sempre a horas decentes...

Sê bem vindo (ou será benvindo?) sempre

Mena disse...

Olá a todos,

sou a Mena e é a 1ª vez que entro neste blog.

Está fantástico e, até agora, dá-me a sensação que as pessoas que nele participam também o devem ser.

Mochinho és o máximo...ADORO-TE.

Quero, também, dar um cumprimento especial à Isabel Filipe, pois também partilho o amor por Portugal e fico doente quando oiço os próprios portugueses a dizerem mal do mesmo.

Mocho amei as férias, principalmente pela companhia.

Bijos a todos

Blog Widget by LinkWithin