Se vieres, por exemplo, às 4 horas, às 3 já eu começo a ser feliz

Depois de acidentalmente ter caído num blog de extrema direita cujo conteúdo me feriu de uma maneira tão feroz, corri à estante e peguei no livro que sempre me devolve a essência humana, por isso, aqui fica a passagem que mais gosto, quem mais me comove...

“-O que é um ritual perguntou o principezinho?
- Também é um coisa de que toda a gente se esqueceu – respondeu a raposa - é o que faz com que um dia seja diferente dos outros dias e uma hora, diferente das outras horas. Os meus caçadores, por exemplo têm um ritual. À 5ª feira, vão ao baile com as raparigas da aldeia. Assim, a 5ª feira é um dia maravilhoso. Eu posso ir passear para as vinhas. Se os caçadores fossem ao baile num dia qualquer, os dias eram todos iguais uns aos outros e eu nunca tinha férias.

Foi assim que o principezinho prendeu assim a raposa. E quando chegou a hora da despedida: - Ai que me vou por a chorar – exclamou a raposa - Ai que me vou por a chorar…

- A culpa é tua – disse o principezinho – Eu bem não queria que te acontecesse mal nenhum, mas tu quiseste que eu te prendesse a mim…

- Pois quis – disse a raposa.
-Mas agora vais-te por a chorar - disse o pricipezinho.
-Pois vou – disse a raposa.
-Então não ganhaste nada com isso!
-Ai isso é que ganhei - disse a raposa – Por causa da cor do trigo…

Depois acrescentou:
-Anda, vai ver outra vez as rosas. Vais perceber que a tua é única no mundo. Quando vieres ter comigo, dou-te um presente de despedida: conto-te um segredo. (…)

pricipezinho

-Adeus…
-Adeus – disse a raposa – Vou contar-te o tal segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos… (…)
- Foi o tempo que tu perdeste com a tua rosa que tornou a tua rosa tão importante (…)
- Os homens já se esqueceram desta verdade – disse a raposa – Mas tu não te deves esquecer dela. Ficas responsável para todo o sempre por aquilo que está preso a ti. Tu és responsável pela tua rosa…”

Antoine de Saint-Exupéry

14 comentários:

Abelhinha disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Abelhinha disse...

Mochito Lindo!

E eu a pensar que ao divulgar no meu blog o meu livro de mesinha de cabeceira tinha conseguido que o pessoal revisitasse o livro, afinal foi preciso ires acidentalmente a um blog de extrema direita...

Mas eles também conseguiram por um mau motivo!

Este livro é fantástico para recuperar a esperança.

Beijos melosos

Mocho Falante disse...

Em 1º lugar que faz uma abelha fora da sua colemia a estas horas da madrugada? vê-se mesmo que é vespera de S. Pedro LOL

Este livro poderá não estar sempre na minha mesinha de cabeceira mas está sempre nas minhas boas recordações e lições de vida

LUA DE LOBOS disse...

SE HOUVESSE MAIS GENTE A LER O PRINCEPEZINHO ... QUE BOM QUE SERIA::))
A PROPÓSITO, SABEM QUE SAINT-EXUPERY VIVEU NO ESTORIL COMO REFUGIADO DA ÚLTIMA GUERRA?
peço desculpa das maíscúlas distrações de velhota:)

Caracolinha disse...

Não há livro mais lindo no mundo !!!!

O Princepezinho é uma jóia porque tem o condão de nos transmitir as maiores emoções da forma mais simples.

Muitos Parabéns pela escolha e por seres quem és ...

Bába carregadinho de amizade.

Caracol Emotivo

P.S. E agora, em exclusivo neste blog, e só para ti, uma pequena dedicatória: NOSSA SENHORA ME DÊ A MÃO CUIDE DE MEU CORAÇÃO ... DA MINHA VIDA AAAAIIIIIIII, DO MEU DESTINO ... Xiça, vai lá vai ... a música até era bonita, mas o meu humilde blog não merece tanto ...

th disse...

Os ensinamentos que se tiram deste livro...preciso é lê-lo com inteligencia! um beijo carinhoso, th

Mocho Falante disse...

O espantoso como as coisas mais importantes da vida podem ser descritas com as mais simples das palavras nos contos mais inocentes

Leonoretta disse...

ai, o princepezinho é lindo. a introdução de exupery, o máximo. já leste um livro publicado pelo circulo de leitores que fala da psicanalise deste livro? sabes quem é a rosa? sabes porque ele abandona o seu planeta e depois volta?

abraço da leonor

Vespinha disse...

Querido Mocho...sempre em grande,tu!
Um dos livros da minha vida.
Obrigatório ler não uma vez na vida,mas uma vez por ano!

Bába sensibilis!

Vespinha

Icaro disse...

Ena, tanta gente que leu o mesmo livro!!

NightWolf disse...

Bem parece-me que ando a perder alguma coisa entao, não li esse livro...
Queria te agradecer as palavras que deixaste no meu blog e dizer-te que gostei de passar por aqui
Um abraço

Mocho Falante disse...

Nightwolf a leitura deste livro é obrigatória, uma lição para a vida.

Leonoretta, obrigado pela dica... ouvistes Vespinha!!!!

Icaro, pois claro que quase toda a gente já o leu, tem mesmo de ser e para quam ainda não fez aqui fica a informação de que deve ir a correr comprar a obra

A Lua de Lobos cheia de razão pois claro,o caracol acerta quando o apelida de joia e a abelhinha com mais uma dependência doce..

A Th sempre certa na sua sabedoria tão própria

Tem de ser

Anónimo disse...

«A interdependência acontece muito raramente, mas sempre que acontece cai na terra um bocado de paraíso. Duas pessoas, nenhuma delas independente ou dependente mas numa sincronia espantosa, como se respirassem uma pela outra, uma alma em dois corpos - sempre que isso acontece, o amor acontece»
(OSHO, Maturidade)

«O amor não é uma paixão, o amor não é uma emoção. O amor é uma compreensão muito profunda de que, de certo modo, alguém o completa assim. Alguém faz de si um círculo completo. A presença do outro faz realçar a sua presença. O amor dá-lhe a liberdade de ser você mesmo; não é possessivo» - OSHO, Amor, Liberdade e Solidão.

Om Shanti!

guevara disse...

Do best...

=)

Blog Widget by LinkWithin