Jogar com a Saudade

Hoje, para ao tentar enganar o tempo, naveguei na esfera de conhecimento ao calhas até dar por mim a relembrar as minhas brincadeiras de criança e como de repente senti saudades de as ver espelhadas nas ruas da minha cidade, nas pracetas por detrás dos prédios dos amigos, no jardim do bairro.

Saudade de ver o chão riscado por um caco de tijolo com o jogo da macaca, da cirumba ou do muro chinês.

De quando se ganhava um Universo de bolas de vidro que nos enchia o saco dos berlindes ou quando o nosso pião se partia em mil pedaços após uma forte luta entre iguais.

E quando a mamã dava licença aos 4 passos à gigante enquanto outro grupo de amigos formavam equipas para jogar ao alho.

E as corridas de caricas enfeitadas com cromos repetidos das nossas colecções do Abismo Negro ou do mundial de 76, que se faziam na borda do passeio que se encenava como se fosse o melhor autódromo do mundo.

E as lembranças de se ouvir o silêncio misterioso após a canção:
“Vai correndo o lindo anel,
A que mãos irá parar?
Onde está, onde se encontra,
Quem o pode adivinhar?”


E acabávamos o dia sob as ordens do Rei Manda, imundos e com um sorriso misturado com as manchas de amoras silvestres, comidas quentes nas tardes de Agosto.

E à noite, à noite sonhava-se com mais uma brincadeira do lencinho ou ao mata porque o verão só terminava quando as árvores se despiam para o seu longo sono anual. Enquanto não caía a última folha caduca e as livrarias não tivessem apinhadas para as compras dos livros da escola, havia sempre tempo para mais uma partida de Barra do Lenço e um até breve ao Verão que se despedia cansado de tanto nos ver correr, de tanto nos ver sorrir

2 comentários:

Bastet disse...

Tanta coisa bonita de que me fizeste lembrar... recordei o fim do Verão e a ida às livrarias para comprar lápis e cadernos... obrigada Mocho que assim falas.

Lôra disse...

Sabe tão bem recordar a infância...os nossos jogos que hoje em dia nenhuma criança liga. Não havia playstations e bastava um giz, que se encontrava nas ruas, para fazermos a festa. Q saudades tenho da cirumba e do elástico e dos outros todos!
Vocês também diziam: "Partida, 'Lagarta', Fugida?" ou diziam Largada que é como deve ser?
Obrigada por trazeres estes momentos de regresso ao passado que sabem tão bem...Um beijo enorme para ti

Blog Widget by LinkWithin