Só queria pagar a factura (Reprise)

Depois de um “desastre" com o post anterior que subitamente desapareceu, como se a censura tivesse varrido aqui o lugar do mocho e porque a pedido de vários leitores que infelizmente não conseguiram dar a sua bicada, cá vai uma tentativa de reposição do mesmo:


Ele há dias em que devíamos levar uma paulada bem no centro da nossa Fissura de Rolando, quando tentamos sair de casa.

O calor estava insuportável, mas eu tinha uma tarefa a cumprir: Pagar a 2ª prestação da taxa de esgotos que estava atrasada desde o tempo em que o bolo-rei trazia a fava…sim não me enganei, a 2ª prestação, é que no Concelho de Oeiras permitem-nos pagar em 2 suvaes prestações (uma oxaria portanto) tal é a exorbitância do valor que nos cobram (172.68€ anuais).

Pois meus amigos, é que neste país até a merda se paga e no Concelho de Oeiras paga-se e bem. Assim, e com receio que algum fiscal aparecesse para me selar a sanita, lá fui eu aos serviços municipalizados com a facturinha já corcomida pelo Sol de tanto viajar no meu carro, à espera que chegasse a coragem para a pagar ou que chegasse a carta a intimidar-nos que nos estrangulam o duodeno caso a divida não seja regularizada.

A aventura pela qual passei, foi certamente mais arriscada do que qualquer sessão do “Survivor”… é que os procedimentos são variados e para se cumprirem.

Tirar uma senha, para quando o gongo tocar com o nosso número, podermos entregar a factura a uma funcionária que imediatamente no humilha em público dizendo: “Esta prestação está atrasadíssima, vai pagar juros!” É justo pensei, afinal de contas em momentos de aflição também não aguardo para ir ao meu próprio WC. O que eu não sabia é que para os atrasados, sai um documento na impressora da tesouraria com o valor a pagar e os respectivos juros de mora.

Ir à sala ao lado, ou seja ir à tesouraria. Ao entrar reparei que havia mais funcionários do que contribuintes para serem atendidos, estes eram apenas dois, funcionários eram 3, o cobrador, sentado mesmo em frente ao guichet, olhando para o infinito como se tivesse numa sessão de yog nidra, um colega que compulsivamente falava do falecido Papa João Paulo II (um tema actual) e a terceira funcionária que encostada numa cadeira de costas para o publico, fumava loucamente cigarro atrás de cigarro, escutando maravilhada o discursos Papal do colega, ignorando por completo os contribuintes que estranhamente estavam sentados esperando sabe-se lá o quê…(pensava que era proibido fumar-se em locais de atendimento ao público) adiante…

Dirigi-me ao guichet e disse, que queria pagar a prestaçãozinha da taxa de esgotos, logo recebi a reposta do cobrador, “Ainda não tenho aqui a guia de pagamento na impressora, vai ter de esperar”, e esperei, esperei, esperei, esperei, esperei, esperei, esperamos todos em grupo.

Quando reparei que de três, passamos a 30 contribuintes que esperavam em uníssono sem qualquer ruído decidi perguntar ao cobrador: “ Desculpe, não acho estranho e bizarro estarmos cerca de 30 pessoas aqui à espera que algo aconteça e pelos vistos nada acontece… A resposta foi simples… um encolher de ombros como quem diz “esperem, que culpa tenho eu, não estão cá os papeis”

preguiça

O calor que agora controlava os meus sentidos e as minhas palavras, tomou logo conta da situação e num acesso de fúria ligeira respondi: “Olha uma vez que parece não ter competência para ver o que se passa com a sua impressorazinha de agulhas, que tal perguntar aí à sua colega fumadora se pode levantar-se e ir ver o que se passa, ou temos esperar que ela tenha um cancro do pulmão para ir resolver o problema das guias de pagamento?”

Claro que o orador Papal, ao ouvir a minha resposta, olhou para o cobrador, ficou branco como a cal e para prevenir uma eventual lipotímia, nem se mexeu da cadeira, não fosse ter que ir de urgência para os serviços médicos da Câmara e pedir uma baixa de 18 meses por stresse pós traumático.

E como sabemos, quando fala um português, falam logo dois ou três, e assim foi, o mau viver estava instalado na estufa de atendimento ao público, claro que logo veio à baila as reformas aos 55 anos e coisas tal, mas uma coisa estava todos em concordância, aquela não era certamente uma profissão de desgaste rápido até porque grandes movimentos laborais era algo que ali não se avistava.

A confusão instalou-se e a gritaria foi tomando os contornos mais típicos que conheço… finalmente a impressora começou a cuspir os ditos papeis, mas claro de forma desordenada o que deu azo a alguns Chico espertos passarem à frente. Quando finalmente decide perguntar pelo meu nome, lá estava a guia de pagamento com a bela quantia de 106 €. Entreguei as notas ao cobrador que me disse: “Sabe isto não está bom para mim nem para si”

Bom, para mim não estava certamente, pois o calor já me tinha tirado do sério, os 106€ já estavam no cofre para pagar quiçá mais um cartaz de campanha politica e depois, mais rapidamente eu iria assistir a um “Levanta-te e Ri” do que voltar tão cedo àquele lugarejo chamado Câmara Municipal de Oeiras.

Quanto ao cobrador não sei do que se queixa, pois provavelmente às 16.30 já estaria no conforto do seu lar a assistir ao final do “Portugal do Coração” enquanto eu ainda arfava com o calor e com a raiva de ver tanta inutilidade e incompetência junta.

É que até para pagar a merda é difícil neste país

9 comentários:

Abelhinha disse...

Oh Mochito, estou a ver estou!

Pior que isso só mesmo ir ao SAP e ter q estar na fila desde as 5h da manhã para conseguir uma consulta e às 11h30 dizerem-nos que já não há vaga!

Mocho Falante disse...

Das duas coisas venha o Socrates e escolha

Caracolinha disse...

Meu Amigo Mocho .. eu se tivesse que desembolsar € 172,68 para tarifa de esgotos, ia a correr à farmácia mais próxima comprar meia dúzia de embalagens de laxantes e, podes crer que bem os fazia arrependerem-se de me levar uma exurbitância dessas !!!!

Ia, pelo menos, 30 vezes por dia à casa de banho !!!!

Podes crer amigo, neste malfadado pais, até a merda se paga, como diz a Vespinha !!!!

Bába Merdoso !!!! ~:o)

Vespinha disse...

Ai Mocho...desculpa mas mijei-me a rir a ler isto!
Imagino-te de olhos esbugalhados e a esbracejar a lançar a confusão!
És o maior!
Só uma curiosidade...moro em Lisboa e a minha contribuição autárquica é de apenas €15 anuais...o que só prova que até a merda na linha é diferente...Luxos!

A Vespinha que te admira muito!

Caracolinha disse...

E mais, por esse preço, deviam fornecer-te gratuitamente, rolos de papel higiénico para o ano todo !!!!

Bába Reivindicativo !!!! ~:o)

NightWolf disse...

Bem, uma importancia exorbitante, é toda a gente a ver quem xula mais o povo, agora quanto ao que esperaste é mais que normal em funcionários publicos, já muitas vezes me tiraram do serio porcausa desse tipo de comportamento... é devagar devagarinho e o pessoal que espere, a culpa nunca é deles...
Só de ler ja me irritou :P
Um abraço

Leonoretta disse...

ola Mocho
dei um salto da cadeira por ver o "filipe". adorável.

"nao deixes para amnah o que podes fazer hoje" - amanha começo sem falta, dizia ele.

rssssssssss

abraço da leonor

Nómada disse...

Daqui conclui-se que quem trabalha para o Concelho de Oeiras faz muito pouco. Quem lá mora faz muita m*r*a.

Felicito o Mocho Falante bela bela descrição.

guevara disse...

LOL lol lol!!!
Eles que fazem a m*rd* do serviço que fazem, nõa pagam taxas?
Ai deviam, porque três a cagar de alto...

Obrigada pela visita ao meu cantinho...
Vemo-nos por ai!

=)

Blog Widget by LinkWithin