Lembrar com Saudade



Até Sempre!

12 comentários:

Caracolinha disse...

Parabéns Mocho, pela qualidade a que já nos habituaste ...

Grande Homenagem, a um Grande Homem, com a sua música excepcional, num enquadramento de luxo, nesta revista Cais que faço questão de comprar todos os meses e que pode significar a diferença entre uma dormida debaixo de um tecto ou ao relento ...

Ainda bem que ainda há os poucos que preferem trabalhar para viver ... nem que seja a vender revistas na rua ... o trabalho não envergonha, seja qual for, o que envergonha é ter bom corpo para trabalhar e qurer viver à custa do trabalho dos outros !!!!

Que música meu Deus ...

Bába Emocionado ~:o)

Mocho Falante disse...

Amiga, fez um ano que este génio partiu, e por isso não era possível não o mencionar aqui no meu poiso, ainda por cima com uma capa da CAIS que acho lindíssima.

Carlos Paredes está para a Guitarra Portuguesa como as estrelas estão para o Céu, e estes verdes anos é de uma sensibilidade sem igual

Até Sempre Carlos Paredes, até sempre...

IM disse...

Continuo a gostar de o 'ouvir tocar guitarra'!

Excelente post.

Beijos, Mocho.

Mocho Falante disse...

IM, trata-se de um tocar imortal, aqui é que se vê que "o Homem a obra nasce"

Bijos

Dilbert disse...

Oi mocho,
Estou contigo. Até sempre Carlos Paredes, até sempre... a guitarra dele soará para todo o sempre...
Um abraço e até já...

Yardbird disse...

Ele merece, Mocho.
Além do mais, a sua humildade foi sempre algo que me deixou rendido, não só ao musico, como também ao ser humano

CP disse...

Até sempre Carlos Paredes!

CP disse...

Cá para mim ele foi convocado com urgência para ir entreter os anjos que - egoístas - o queriam para eles...

guevara disse...

ò nostalgia vai-te embora!

Mocho Falante disse...

cp acho que tens imensa razão, estes anjos andam de todo e não podem ouvir o som de uma bela guitarra que logo a confiscam

Vespinha disse...

Um Homem que faz parte da colheita daqueles que já homenageámos.Uns mais recentemente que outros...

Em comum, a generosidade,a humildade e a liberdade como bandeira.

Saudades.Muitas.

Bába da Vespinha nostalgica!

Mocho Falante disse...

Amiga Vespinha, estes verdes anos respiram pátria, e invadem-nos os sentidos, não sei se te acontece o mesmo, mas eu cada vez que escuto estes acordes lembro-me sempre de um Portugal cheio de vontade de romper as mordaças com que vivia

É um idolo que partiu mas que sempre habitará entre nós

Blog Widget by LinkWithin