Diário de Bordo III

Quando os dias pertencem ao NÃO, quando recebemos cartas do banco a avisar que a renda da casa vai voltar a subir, quando o trabalho está um inferno, quando à nossa volta vimos a urbe toda descontente e a dar coices…então o melhor mesmo é fechar os olhos e relembrar as boas energias que as viagens nos oferecem.

Foi o que fiz, recordei Praga no seu Inverno rigoroso mas que transforma a cidade num local encantado.

Lembrei as ruas do Bairro Judeu, (Josefov), existente desde 1179 faz com que esta comunidade seja a mais antiga de toda a Europa. Durante 700 anos a comunidade judaica viveu entre muros até que em 1848 o muro foi derrubado e o bairro judeu voltou a integrar-se aos poucos na cidade de Praga.

Enquanto na Europa Nazi, todos os símbolos judeus iam sendo eliminados, Praga manteve-se intacta pois a intenção do III Reich era fazer do Gueto um museu sobre o povo inferior que os Nazis eliminariam da face da Terra.

E assim, à conta da monstruosidade e ignorância, se manteve um local que adquiriu uma relevância histórica impar…Josefov o bairro judeu em Praga.
Apesar de completamente remodelado em zona residencial, o bairro judeu não perde o seu cariz misterioso e belo. São vários os monumentos que se podem visitar nesta zona da cidade, as sinagogas, desde a Sinagoga Espanhola, passando pela Sinagoga Alt Neue, construída em 1280 é única em funcionamento nos dias de hoje. Nesta sinagoga reza-se há 700 anos e os actos religiosos apenas foram interrompidos no período da 2ª guerra mundial por motivos óbvios. Consta que o famoso Golem andou por esta Sinagoga e há quem acredite que ainda povoa o sótão da mesma.

O cemitério judeu de Praga com as suas 12 mil supulturas é um local de visita obrigatória, onde se sente uma mistura de emoções e sentimentos.
Depois é descansar no café Kafka onde o chocolate quente é uma delícia, e assim tudo seria perfeito não fosse a antipatia e indiferença do povo checo que de calorosos não têm nada…saem ao tempo gélido que por lá se sente. Mas a beleza da cidade supera tudo, até a antipatia checa, que se combate também com um belo repasto de Goulash Checo acompanhado, para não variar de copos de meio litro de cerveja.

Nashledanou Praha…até um dia destes.

37 comentários:

125_azul disse...

Tens todas estas memórias como benção para te lembrar que eu desejo que os teus dias pertençam ao sim...
beijinhos

catarina disse...

Mochito

perdoa a antipatia dos checos! Com um frio daqueles so os turistas se lembrariam de andar de boa cara:)

Bjtos

Lu.a disse...

Ai, a banda sonora que puseste faz-me chorar... :(

Ka disse...

Engraçado ver uma descrição tua acerca de Praga... Parece ser comum todas as pessoas ficarem encantadas com a beleza mas quase escandalizadas com a antipatia.


Beijoca

ps - Espero que estejas já na fase simmmmm pois tu mereces :)

Pitanga disse...

Também faço assim. Quando a coisa não vai bem, refugio-me em fotos e lembranças antigas.

beijos

Isabel-F. disse...

é sempre um prazer acompnhar-te nestas tuas viagens ...


e as fotos são sempre belissimas...


beijinhos

Sei que existes disse...

Mas que lindas lembranças!
Espero que consigas arranjar sempre um refugio interessante para fugir das coisas menos boas desta vida...
Tens um prémio lá no Sei que existes.
Beijo grande

wind disse...

Gosto tanto das tuas descrições:)
Beijos

Natalie Afonseca disse...

Mochinho, já paravas de fazer inveja...nãO???? :P Hehe!!

Aiii!! Cada vez mais apetece-me sair daqui de mochila às costas....vai surgir e vão ouvir falar!!! :P

Lindas fotos!
Beijinhosssssssssss

Marco Ferreira disse...

E nós fechamos os olhos e viajamos contigo.

Bom fim de semana.

marinheiroaguadoce a navegar

A Lei da Rolha disse...

Tirando o cemitério...udo muito bonito!
abraço

GP disse...

Obrigada pela visita ao sarrabiscos.
"Como os meus dias estãm mesmo no NÃO, recebi carta do banco a avisar que a renda da casa vai voltar a subir, o trabalho está um inferno, vejo tudo descontente e a dar coices…" fechei os olhos e viajei contigo. Óptima ideia. Fez-me bem...

Beijinho

Casemiro dos Plásticos disse...

cá está este magnificos roteiros de fazer inveja a qualquer presidente da republica.
abraço e um bom fds.

APO (Bem-Trapilho) disse...

que lindo! essa sinagoga deve ser de tirar o folego! :)

Alien8 disse...

Caro Mocho Falante,

Não conhecia a história deste bairro judeu. Agora já conheço... :)

Quanto ao povo checo, bem... quando por lá estive, nem todos eram antipáticos e gelados. Posso mesmo dizer que fiz por lá bons amigos. Serão os tempos que mudaram? Ou tive sorte?

Um abraço e uma boa semana.

Maria Clarinda disse...

Excelente este teu post...viajei contigo...
Jinhos mil

Sophiamar disse...

Um excelente post. Um conjunto de imagens que nos levou numa bela viagem
Gostei muito.

Beijinhosssss

C Valente disse...

Sem memoria não á historia nem humanidade, muito bem
Saudações amigas

C Valente disse...

Sem memoria não á historia nem humanidade, muito bem
Saudações amigas

Odysseus disse...

Excelente viagem!

1 abraço

Afrodite disse...

Reforço o que já te havia dito: eu já "estou" em Praga.

Muito obrigada pelo excelente relato e imagens. Por isso, um beijo reforçado

Rita Maria disse...

Boa descrição,as os checos são na verdade doces. Se morares em Praga ou ficares um pouco mais de tempo, vais descobrir que três frases de checo abrem muitas portas e muito sorrisos e pperceber a irritação de quem de Março a Outubro não consegue andar pela parte antiga da cidade sem demorar 20 minutos por cada 100 metros...

Quando torci o pé em Praga, demorou cerca de 10 minutos a ter um grupo enorme de gente à minha volta a oferecer ajuda, para chamar uma ambulância, isto, aquilo (metade eu não percebi, claro)...

Beatriz disse...

Mocho,
O meu blog desligou, mas eu já fiz outro. Está lá tudo explicado.
Um beijinho, e desculpa

alexia disse...

Poder fechar os olhos e relembrar viagens que se fizeram é uma espécie de luxo! Isto é sem duvida o primeiro pensamento mas criaste outra alternativa, abrir bem a pestana e vir até aqui ler e só a seguir fechar os olhos!

Beijo, fica bem!

mjf disse...

OLá!
Quando quiser, passe lá por casa, tem um mimo para si.

Beijos

Kraak disse...

Muito bom, Mocho! Pois ficas a saber que podes ir visitar-me brevemente a Praga para uma sessão de música :P

Apareces?

Hugzz checos!

Kalinka disse...

Amigo Mocho
que delícia é acompanhar as tuas palavras...

Já alguma vez abriste janelas, para ouvir estrelas? Vou começar a pensar nisso quando chegar a Primavera; gostaria de conversar com elas a noite toda!!!

Beijos cintilantes.

Casemiro dos Plásticos disse...

belas imagens, gostei secalhar vou lá!
abraço

Sérgio Pontes disse...

Olá Mocho,

Quando puderes passa pelo meu blog, tenho lá uma surpresa para ti!

Abraço

C Valente disse...

Bom feriado com saudações amigas

Anónimo disse...

Olá

Já vi que andas calmo na produção de posts...

Uma bactéria que atinge muitos!!! ;)

Queria agradecer quando chamaste atenção da desconfiguração do meu blog...mas como tinha um sistema antigo não dava por nada...só agora mudei de computador em casa e percebi como estavam as fotos...

espero agora que esteja a funcionar estes últimos posts!

Beijocas

cristina

objectiva3

musqueteira disse...

...hum, em Praga?... o mocho tem sorte;)

As Musas disse...

Meu amigo mochinho, já não te visitava à uns tempitos, não era?
Estou maravilhada com os teus posts........ nada mais a acrescentar!
Beijinhos

turbolenta disse...

Uma simpática cidade para um antipático povo.
Fotos lindas. Bela descrição.
Obrigada pela partilha.

Isabel Magalhães disse...

Aqui bem perto, fui a uma Galeria de Arte meter o nariz; - tinha que ser, não era? :) e a Galeria tinha uma esplanada num páteo com muitas cadeiras 'Tonet', e montes de arbustos e flores, e serviam um requintadíssimo café acompanhado de uma minúscula 'leiteira' e água num copo lindamente gravado. Já não sei quanto paguei, - sei que foi bastante - mas valeu a pena. Está a foto no 'à rédea solta' para quem tiver curiosidade. (Junho 2007)

bjssss
I.

Isabel Magalhães disse...

Tiveste azar...! :) Eu só encontrei checos super simpáticos, a única excepção foi o homem das informações da estação internacional de caminho de ferro; - cheguei no comboio de Budapeste numa viagem super agradável - mas, dizia eu, o homem da estação não era antipático, era mesmo muito mal educado, tratava toda a gente a 'pontapé', ah! e queria cobrar por um mapa da cidade marcado 'FREE'. Além disso, fumava fumava para cima do povo que desesperava em fila que ele acabasse um telefonema, - interminável - e que pela cara dele, toda dengosa, era tudo menos de serviço. Bom, também encontrei um motorista de táxi que nos roubou 'à grande e à checa' porque andou às voltas mas, isso faz parte do folclore das viagens.
O pessoal do hotel, dos restaurantes, das escursões, o povo na rua com quem falei, os polícias, que não falavam inglês mas tinham com eles estudantes a fazer trabalho de verão, os empregados das lojas, era tudo super cordial e simpático.

:)

Leonor disse...

e assim vou viajando contigo.
excelente relato.
beijinhos

Blog Widget by LinkWithin