O medo da morte

Quem de nós nunca pensou na hora da sua morte? Como vai ser? Quem estará connosco? Que idade teremos? E o medo? Bem o medo da morte é a realidade vivida por muitos.

Irvin Yalom, teve a coragem de escrever um livro fabuloso, onde relata os seus casos clínicos que se debruçaram sobre esta problemática, o autor convida-nos a fazer uma viagem pelo mundo da filosofia bem como da Psicologia, e assim se vai explicando que o medo da morte é um fenómeno que nos acompanha desde os princípios da humanidade e só enfrentando este medo é que o conseguimos organizar a nossa vida e ao mesmo tempo dar prioridades às coisas que esta tem de fantástico para experimentar.

Com tónica no termo de rippling criado pelo autor, aprendemos que todo este medo afinal se desvanece e perde força quando percebemos que fizemos algo na nossa vida que deixou marca para as gerações vindouras.

De Olhos Fixos no Sol apresenta as técnicas para combater medo bem como conseguir uma vida mais feliz e com maior significado.

15 comentários:

Daniel disse...

Passa no meu blogue. Abraço amigo :)

mjf disse...

Olá!
Registei a dica:=))
Obrigada.

Beijocas

Titá disse...

Parece-me muito interessante! Obrigada pela sugestão.

Um beijo

A Lei da Rolha disse...

Vevem ser muito interessantes.
abraço

tulipa disse...

Venho agradecer a visita ao meu blog e as palavras amigas.
Quero dizer que os 2 meses que estiveste ausente foram muito tristes para mim. Ainda bem que voltaste!!!

No intuito de levar ao conhecimento de todos a minha paixão pela fotografia, bem como a intenção de continuar a expor em qualquer parte do País, venho divulgar e ao mesmo tempo, fazer o convite para a minha próxima exposição de fotografia intitulada: “Impressões de Viagem à Índia” cuja inauguração será no dia 19 de Janeiro, pelas 18h.
No meu blog está o convite, em nome do Sr. Presidente da Câmara Municipal da Moita.

Uma senhora que viveu muitos anos na Índia arranjou-nos uns saris para decoração e algumas peças. Especiarias, decoração com arroz e pétalas de rosa, incenso, velas da Índia, alguma comida e a música também. Eu mesma, nascida em Moçambique, habituada à gastronomia indiana bem como chinesa devido às comunidades desses povos que lá viviam, tenho uma senhora amiga que faz chamuças e da qual sou cliente há 20 anos, vou levar chamuças para ofertar a quem estiver presente no dia da inauguração. Fiz um trabalho em power-point, onde trabalhei 170 fotos da minha viagem, em formato jpg num CD que vão passar num LCD. Ou seja, muita inovação nesta próxima mostra dos meus trabalhos em fotografia.

Só digo, isto promete!!!
Beijinhos.

Anónimo disse...

Olá!

Desta vez venho pedir ajuda para divulgar as organizações que estão ajudar no Haiti!

E fomentar a contribuição de donativos para ajudar as vítimas do terramoto!

Obrigada!

Beijocas

Cristina Garcia

Objectiva3

turbolenta disse...

E quem pode dizer que nunca pensou como serão os seus últimos momentos?
Pela parte que me toca, penso não só nisso mas também como teria sido a minha vida anterior. SE ela existiu, quem era eu, como morri. Perguntas às quais nunca saberei a resposta, a não ser que faça regressão. Tenho medo!Prefiro todas as dúvidas que possa a ter em relação a estas perguntas.
ESte é um assunto que me interessa.
Gostei da sugestão.
BOa semana
beijos

Baby disse...

Bem, talvez eu deva ler, porque realmente tenho medo da morte e não queria ter.
Obrigada pela sugestão.
Abraço.

tulipa disse...

OLÁ AMIGO MOCHO

Acabei de me encontrar contigo num outro blog...
vim logo ter contigo e dizer-te que neste momento está patente ao público uma exposição minha, foi inaugurada ontem, na Biblioteca da Moita. Foi um sucesso.
Se quiseres ver algumas imagens podes ir a este blog:
http://omeusofaamarelo.blogspot.com/

É um Amigo dos blogues que foi lá fotografar...Gostaria que pudesses ver, acho que ias gostar.

A exposição estará aberta ao público de 3ª feira a sábado; fecha aos domingos e segunda-feira.
Encerrará no sábado - dia 30 de Janeiro pelas 18h 30m.
Já me comprometi com algumas pessoas amigas para lá estar este sábado - dia 23, das 15h em diante, para fazer uma visita guiada aos amigos que decidirem ocupar o sábado de tarde de forma a "espreitar" os hábitos e costumes da Índia.

Embora tu já conheças ao vivo... por isso, ADORARIA a tua opinião, melhor que ninguém saberás ver com outros olhos as minhas imagens.

À 4ª feira a Biblioteca fecha pelas 20h, nos outros dias às 18h 30m, eu trabalho em Lisboa e só chego à Moita pelas 19h 15m, daí que poderei lá ir na outra 4ª feira e esperar pelos Amigos.

Se quiseres cá vir ficarei muito feliz e grata.
Peço-te que deixes o teu parecer num "Livro de visitas" que lá está em cima de uma mesa.

Beijos meus.

São disse...

Agradeço a informação.

Embora a morte não me apavore, ao contrário do sofrimento.

Bons sonhos.

Alien8 disse...

Caro Mocho,

Procuro não pensar muito no assunto - e já estive lá muito, muito perto... Deve dar resultado, porque, na altura, enfrentei bem a coisa. Não só ignorando, claro, mas não vou dar aqui receitas. Cada um encontrará a sua, espero. Em todo o caso, como escreveu Woody Allen, "Não tenho medo da morte. Só gostava de não estar lá quando acontecesse".

Um abraço.

Professorinha disse...

Eu não tenho medo de morrer, nem da minha morte... tive medo da morte da minha mãe, que tive que enfrentar... já desejei a minha morte para que parasse de doer aqui dentro... a morte não me assusta, a forma de morrer sim...

Mas o livro parece interessante!

wind disse...

Sinceramente, não penso muito na morte:)
Beijos

APO (Bem-Trapilho) disse...

parece interessante, sim!
bjos Mocho!

Marco Rebelo disse...

Mto obrigado pela sugestão :)
Bom Blog :)

Blog Widget by LinkWithin