All Night Long!


Nascido no ano de 1970, este mocho viveu a juventude em pleno anos 80 e claro a adulticia e início da fase adulta nos anos 90.

Os sons definitivamente começaram a ser diferentes e a noite que tanto gosto foi-se revelando fantástica à frente dos meus olhos. Assistimos ao nascimento das After Hours em pleno Kremelin ou Alcântara Mar no Coração de Lisboa, as portas do underworld abriam-se a partir das 6.30 da manhã.

Os sons metálico/psicadélicos tomaram conta para sempre das pistas de Dança, os Disc Jockey passaram a designar-se simplesmente por Djs e aos poucos o Vinil deu as boas ao Compact Disc.

As Raves assumiram a sua força nos anos 90 e com ela a música da nova geração foi ganhando cada vez mais força e tomando conta dos nossos corpos que ao som da batida se balançavam de forma enérgica e original. Os mais afoitos eram os senhores das colunas de som e bem no topo das mesmas exibiam os seus corpos em movimentos “sexualizados” .

Os anos 90 foram, ao contrário de que muitos para aí dizem, anos de autentica revolução nocturna e claro com eles chegaram as novas formas de atingir o êxtase pela pior forma…o ecstasy, a pastilha que nos transporta ao mundo de cor e de sons mais puros, efeitos de uma dose que nos agarra e nos destrói de forma inabalável.

Os anos 90 trouxeram a electronic music ao seu expoente máximo, que na verdade tinha dado os seus primeiro frutos nos finais dos gloriosos anos 80.

Eu confesso que gosto desta batida e destes sons eléctricos cheios de luz e nada melhor que nas noites quentes de verão dançar com som que nos convida à sedução e à caça no meio de uma pista de dança daquele lugar que já tão bem lhe conhecemos os cantos de tantos anos de frequência.

Acaba-se com um até amanhã que dizemos ao porteiro repararamos que o Sol já vai alto e que é tempo de uma meia de leite com um croissant na esplanada da Pastelaria Suiça…. Depois descansar que logo à há mais, porque a noite é nossa, a noite da caçada não pára não senhor.

Absolutely Not! :-)

28 comentários:

Kalinka disse...

OLÁ AMIGO MOCHO
Finalmente, estou aqui...ainda apenas 60% restabelecida, mas as saudades são muitas e, não resisto, só tenho que me portar bem e não esforçar demasiado a vista, para já.
Dei uma espreitadela e li sobre os teus passeios por terras de Sintra, sempre tão bela e romântica!
Posso dizer que não nasci na década de 70 como tu, mas também ando com saudades de uma bela noitada bem passada, ao som de boa música e óptima companhia, mas isso é mais difícil encontrar.
Quero agradecer o facto de me teres dado o teu endereço de MSN, mas achei que não devia incomodar quem trabalha e anda na sua vida diária, sempre a correr, mas foste um querido, sim! Obrigado também pelas palavras de conforto na fase mais difícil. Beijokas.

Leonoretta disse...

descreveste bem a tua epoca musical. sou 9 anos mais velha que tu. eu ainda vivi as resteas dos hippies. iamos ver os concertos musicais em cascais como se fossemos para o woodstock, rsss, de jeans e tal...
e agora ha quem ande engravatadinho. eu ainda sou a mesma. mais ou menos.

abraço da leonoreta

Hindy disse...

Beijinhos :o)

Eva Shanti disse...

Ora eu, pertencendo à colheita de 71 sei bem do que falas.

Continuo a gostar da vida nocturna e um pouco de tudo: Bairro Alto, Cais do Sodré, 24 de Julho...

A semana passada saí do Lux às 8h. E que bem que me soube!

Mas neste momento também me sabem bem outras coisas, mais calmas e como menos confusão. Ainda vou conseguindo arranjar tempo para um pouco de tudo.

Bjs

Alien8 disse...

Amigo Mocho,
Nesta não estou contigo. Não gosto de techno nem de discotecas. Paciência :)
Um abraço.

wind disse...

Tendo eu mais 7 anos que tu, a diferença de estilos musicais já se sentiu, embora tivesse apanhado esse período.
Confesso que não gosto muito, pois faz muito barulho para o meu gosto e isso para mim não é música:)
Mas também sei, porque já aqui ouvi, que gostas de música que também gosto:)
Frequentei com certeza outras discos, que tu não foste, como eu digo: nos meus velhos tempos. gargalhadas:)
beijos

125_azul disse...

Tu esbaldas-te, Mocho! Have fun! Beijinhos

Bruno Nabais disse...

lolol
gostava que quando fosse ao meu blog deixa.se lá o nome desta música..é verdade.grande revolução!!

Catarina Pati disse...

caro Mocho

cuidado com as caçadas nocturnas, não são raras as vezes que o caçador cai no proprio laço :):)

Bjtos

The City Lights disse...

Mocho....
bons tempos.....quem gosta e aprecia....ainda o faz!Sabe bem de vez em quando...para "destressar",para ver o barulho das luzes...para socializar...para podermos precisamente recordar quando mais velhos e falar com conhecimento de causa!Podemos até nao gostar actualmente....mas faz parte!
Um beijo enorme lindão!

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Ahhhh gosto de te ver assimm...animado!
Beijos e Boa semana!!!

Isabel-F. disse...

...ufa....até fiquei cansada com esta descrição dessa vida nocturna...

sou mesmo antiga...rsss...


boa semana
beijos

Miguel disse...

Parar é morrer ...!
Em frente, Mocho!
Sou fã de toda a musica!
Desde que tenha batida!

Boa semana!

Bjks da matilde

dakidali disse...

Pois és jovem e tal... Nunca fui a nenhuma rave. Já não tenho pedalada para uma noite inteira numa discoteca, até porque o fumo e muita gente em espaços fechados e tudo apertado faz-me confusão.
Beijinhos

Sara MM disse...

ai ai... tanta recordação... era bom... mas já foi... agora há outras coisas melhores :o)


BJss e Pump it up!!!

Patrícia Santos disse...

Olá mocho!!
Peno tenho eu de não ter vivido o que devia viver, mas a vida dá muitas voltas e a minha voltou-se para um lado totalmente diferente.
Talvez num próxima descida à terra eu aprenda a aproveitar, com muito menos medo das consequências.
Goza enquanto podes.
Beijos Bicados!

Parrot disse...

Irmão dos céus....nem imaginas as recordações que chegaram com este post.....
Tudo na vida tem um momento certo, e, de facto essa época marcou uma mudança neste tipo música e marcou a surgir de grandes Djs, alguns deles que ainda por andam aí. Aqui por cima, era mais para os lados do Industria, do Swing, do Cais....velhos tempos que recordo com saudade. Eu era adepto do vinil…..:)))
Agora…prefiro outro tipo de locais onde possa desfrutar de uma amena cavaqueira…lá está, tudo na vida tem o momento certo.

Abraço e boa semana

Dilbert disse...

Oi rapaz :)
Epá... com este teu ânimo que tal ires ao LUAU da próxima 6ª feira (7 julho) na Praia da Cabana
do Pescador (margem sul) onde "é proibida a entrada sem havainas... sapato não entra, bota muito menos" LOL... começa às 23h... na remota hipótese de
estares por perto, aparece e "arrasta" mais pessoal contigo... eu e uma equipe
de bloggers já lá estamos batidos, eheheh... havaianas ao poder !!! :D
A propósito... para além das havaianas é pedido que se vá vestido de branco(caso apareças vê se descobres por lá um tipo com uma T-shirt branca com um
boneco estampado do Dilbert, adivinha quem é, eheheh...)
Um abraço

Natalie Afonseca disse...

Olá Mochinho!
É isso mesmo, cada época com a sua batida!!
:))))
O que importa é aproveitar-mos a vida ao som que mais nos convém :))

Beijinhos
:)))))

Tuche disse...

Olá e boa noite Mocho Falante, eu segui-te através da Cristina CC e do Alien8, é a 1ª vez que te visito e desde já te digo que tens aqui um espaço muito interesante.

Vou voltar. Gostei da música, aliás eu adoro música e de vários estilos.
Somos do mesmo ano de nascença por isso entendo bem o que dizes neste post.
Um beijo e boa noite :))

adesenhar disse...

olá mocho
não sou do tempo da Tecno, venho dos 70.
gosto de todo o tipo de música.
Considero-me até um bom apreciador de boa música.
Mas na minha opinião a tecno, dá para ouvir apenas em determinadas situações, e
por pouco tempo.
Como em tudo, há sempre um ou outro defeito a apontar e neste caso da música tecno, falha precisamente na parte mais importante que é a criatividade.Por vezes os sons ou as batidas são exageradamente repetitivas.Para compensar lá está toda uma variedade de produtos( ecstasy) para distrair e anular os mais críticos e relutantes numa entrega que se pretende total, em termos financeiros e não só.
:)
bons copos
e em Agosto lá vou eu ouvir umas batidas Tecno em Lagos, na meia praia,
noite dentro e fogueiras por todo o areal... aparece por lá que é divertido, com um banho na rebentação pelas 4 da manhã, para acordar e ganhar energia para mais um copo.

:)
abraço

Assobio disse...

Olá, Mochinho!
Já fui de grandes batidas de discoteca.
Noites acabadas às sete, no cacau da Ribeira e nos bolos da Praça do Chile... estou a sorrir só da lembrança!
Agora, prefiro um barzito com musiquinha ambiente.
Mas não sou fundamentalista!

Cristina disse...

pois é, tb venho dos 70-80.
não gosto de tecno, fere-me os ouvidos, gosto de mudica em que se ouçam os instrumentos e as vozes...;)

de discotecas já tive a minha dose durante uns 15 anos, agora só saio para ambientes bem seleccionados....

pá, velhice..

bjocas

Meia Lua disse...

É mesmo isso Mocho!!! Quem nasceu nos anos 70 e passou por todas estas revoluções musicais, sabe bem escolher e apreciar qualquer tipo de música: desde que seja boa! Verão é dançar, curtir e viver em intensidade uma estação ;)
beijinho

As Musas disse...

Estás cheio de pedalada.... mas nascido nos anos 70 não acredito que faças isso muitas vezes lololololol sou mesmo mázita :-))

papoilasaltitante disse...

Eu cá colheitinha de 68.... Se sei... Bjs
:))))

Marco Ferreira disse...

Tenho de dizer que é música que nunca foi a minha paixão e relembro com saudade a altura em que ia para a Kadoc e havia uma pista alternativa com outro tipo de som, mais rock.
Mas de resto tudo era igual, as caçadas faziam-se na mesma na pista e a saída era, enevitavelmente de manhã, com uma ressaca à espera, e uma nova noite também.

marinheiroaguadoce a navegar

Mariazinha disse...

Eu então sou mais "Jamaica" e "tokyo" Não gosto nada de musica electronica.
Mas temos sempre que respeitar o gosto dos outros:)

Blog Widget by LinkWithin